O QUE ANDO A PUBLICAR

terça-feira, 27 de agosto de 2013

És segredo


A falta que me fazes
E que não sei explicar
É este poema

Trago um peso pendurado ao peito
Que se desprende num suspiro
E mesmo assim não conhece alívio

Continuo seguindo os teus passos
Como se te procurasse
Como se te quisesse encontrar

Em toda a parte
Vejo-te onde não existes
Reflexo omnipresente
Estás até onde não estás

Levo-te e trago-te em mim
Preso em silêncio
Mudo e secreto
Meu inconfessável amor

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se gostou deste artigo, ou tem uma palavra a acrescentar, agradeço imenso que deixe o seu comentário.